Top Social

O meu animal de estimação precisa de exercício físico?

24.4.14
Patas&Focinhos Fotografia

Dia 18 de Maio ocorrerá uma Cãominhada em simultâneo nas cidades de Almada, Aveiro e Valongo! A participação é gratuita e a inscrição prévia garante a oferta de um kit de participante! Inscreva-se:

Muitas das raças atuais de cães foram selecionadas pelo homem para trabalho. Participaram nas atividades humanas durante milhares de anos, acompanhando o homem na caça, na pesca, no pastoreio de rebanhos ou na guarda dos seus pertences. Os antepassados selvagens do cão passavam grande parte da sua vida procurando comida, caçando, tratando das suas ninhadas, defendendo-se dos seus inimigos ou apenas brincando com os seus companheiros.

Hoje em dia, a única atividade dos nossos animais de companhia é muitas vezes estar deitado no sofá todo o dia à espera que os donos cheguem das suas atarefadas vidas profissionais. Este sedentarismo é totalmente contrário às necessidades fisiológicas dos cães, colaborando para as “doenças civilizacionais” que partilham com os seus donos, agravadas por uma incorreta alimentação.

Também os gatos necessitam de exercício físico, especialmente aqueles que vivem dentro de casa sem acesso ao exterior. O metabolismo dos gatos e as suas necessidades nutricionais são muito diferentes das dos cães e, ao contrário destes, o gatos não são normalmente levados a passear à trela. É também importante o envolvimento dos dono em algumas atividades diárias que façam o gato exercitar-se. Não há uma resposta fácil quanto ao tipo de atividade ideal para o gato e cada um poderá ter uma atividade preferida diferente, desde brinquedos especiais para gatos, brincadeiras com ponteiros laser, rodas de exercício, etc.

O exercício físico deve fazer parte dum plano de medicina preventiva, cada vez mais importante em Medicina Veterinária. Tal como na medicina humana, o diagnóstico precoce e a adoção dum estilo de vida saudável é fundamental para o prolongamento da esperança de vida e da melhoria da qualidade de vida. Esta mensagem chegará facilmente aos proprietários que, já sensibilizados para o que é melhor para eles próprios, desejam o melhor para os seus animais de companhia.

A quantidade de exercício que cada cão necessita depende da idade, da raça e do seu estado de saúde. Duma maneira geral poderemos dizer que o cão necessita de 30 minutos a duas horas de atividade diária. Por exemplo os cães de caça ou de pastoreio, como os labradores e os Collies, são os que necessitam de mais exercício, devendo fazer cerca de 30 minutos de exercício mais vigoroso, para além de 1 a 2 horas de atividade diária. Outras raças, como por exemplo raças braquicéfalas como o Bulldog Inglês, não necessitam de muito exercício, sendo muitas vezes suficientes os pequenos passeios diários com o dono. As necessidades e o plano de exercício físico devem ser estabelecidos individualmente, sendo o veterinário o conselheiro ideal para estabelecer este plano, já que é quem melhor conhece o animal e o seu estado de saúde. Os cães que são menos ativos, mais velhos, com excesso de peso, com dores articulares ou musculares, também necessitam de um plano de exercício muito específico, que deve ser “prescrito” pelo veterinário.

Provavelmente a melhor maneira para incentivar o exercício físico nos animais de companhia é incentivando o binómio dono-animal. O exercício físico conjunto, se possível desfrutando da vida ao ar livre, pode ser uma boa oportunidade para estimular um estilo de vida mais saudável.

Dia 18 de Maio ocorrerá uma Cãominhada em simultâneo nas cidades de Almada, Aveiro e Valongo! A participação é gratuita e a inscrição prévia garante a oferta de um kit de participante! Inscreva-se:


Post escrito em parceria com OneVet Group. Texto da autoria de Dr. Luís Lobo, Hospital Veterinário do Porto