Top Social

Um olhar diferente sob os idosos

18.3.14
3ofUs (pg 9)
Fonte: Robyn Arouty
Conheça Cooper, o labrador, Jazzy, o border collie, e Aki Yamaguchi, a humana. Não são o típico trio texano, mas são simplesmente adoráveis. Aki, Cooper, e Jazzy dedicaram  as suas vidas a ajudar outras pessoas. Uma volta de 360º - da busca e salvamento até ao seu movimento #greyisbeautiful - eles fazem tudo. 

Há muitos anos atrás, Aki, AKA BorderNerd , queria encontrar uma actividade que ela pudesse fazer sempre acompanhada de Jazzy. Quando Aki experimentou a busca e salvamento, decidiu que era uma combinação Pawfect de voluntariado e ajudar pessoas necessitadas. Desde então, Aki, Jazzy, e Cooper têm participado em várias acções de busca e salvamento. Já lá vão 8 anos que se dedicam à actividade e participaram nas acções de busca e salvamento do Katrina e do Ike. 


A busca e o resgate não foram unicamente os responsáveis pela calma tão visível no Cooper, também o treino ajudou a reforçar o vínculo entre Aki e Cooper dando a volta à, antiga, hiperactividade. "Ao canalizar a sua energia na busca e salvamento, Cooper tornou-se um cão incrível", diz Aki."Ele e Jazzy convivem perfeitamente e eu não poderia ter pedido um par melhor."


Aki diz que a chave para uma boa busca e salvamento é a recompensa. "Tem que descobrir o que o cão gosta e depois usar isso como uma recompensa para treinar. Eu não uso a punição porque quero que os meus cãesapreciem o trabalho. Grandes cães de busca e salvamento são confiantes e saudáveis", diz Aki.


"Se um cão quer algo que você tem, ele vai fazer praticamente qualquer coisa - subir uma escada, passar por uma pilha de escombros, e correr no bosque por durante horas. Isso é treino positivo" refere Aki

Cada busca pode durar horas ou dias, e o treino pode ser bastante intenso.O trio treina 5 a 6 dias por semana em obediência, socialização, agility, e muito mais. Além disso, eles reúnem-se com o grupo de busca e salvamento 2 a 3 vezes por semana. 

No entanto, tal como acontece com os humanos, eles não poderiam ter esta actividade para toda a vida. Jazzy e Cooper começou a abrandar o ritmo. Cooper desenvolveu problemas a nível das articulações e Jazzy passou por várias cirurgias depois de uma lesão na perna. Sendo a responsável pelos dois, Aki achou que era altura de se reformarem. Aki revelou que viveu, durante anos, de busca e salvamento e sabia que os seus cães adoravam o treino, por isso esta decisão foi a mais difícil de ser tomada.

Reformarem-se significava ter tempo para outras coisas incríveis que permitissem ajudar as pessoas."Foi quando comecei a treinar para o programa de Terapia Assistida por Animais. Sendo um cão tão agitado, as pessoas nunca pensaram que Cooper poderia ser um cão de terapia" Aki lembra. No primeiro dia, na casa de repouso, Aki soube que ele tinha encontrado a sua vocação. 



Jazzy teve uma abordagem diferente.Ao invés de fechar os olhos e se deixar levar pelos mimos, Jazzy gostava de se exibir para as crianças no hospital. Desde a dança aos truques, ele é uma caixinha de surpresas. Jazzy visitou bibliotecas locais para participar nos programas de leitura. 




Para Aki isto não é suficiente. Ela sabe que, tendencialmente, os cães de resgate quando se reformam vão para os canis. Certo e sabido é também que os futuros adoptantes preferem cachorros a cães idosos. Então, Aki pensou se importante consciencializar as famílias a apreciarem idosos e honrarem compromisso com eles para a vida. Como ela faz isso? Pega numa câmara fotográfica e escreve no seu blogue. 



Através de seu blogue e Instagram, Aki partilha  todas as suas conquistas e os focinhos cinzentos que vai ajudando. "Toda a gente adora cães, mas existem qualidades incríveis que só encontrará em cães idosos. Eles podem ser os melhores amigos do mimo e companheiros de viagem" confessa Aki.