Top Social

VACINAÇÃO: Pós-vacina

18.4.12


Entrevista| No seguimento dos dois artigos anteriores, eis-que surge hoje o terceiro artigo sobre a VACINAÇÃO. Já vimos o início de todo o processo de vacinação, a importância das vacinas e quais as vacinas, hoje veremos o PÓS-VACINA.

Relembro, mais uma vez e nunca é demais, que esta série de 3 artigos resultaram de uma entrevista prévia com a médica veterinária Marta Guerreiro.




O Mundo do Lucas: Após a vacina, existem comportamentos/reacções que nos devem deixar alerta? Se sim, o que devemos fazer?
Marta Guerreiro: Após a vacinação é possível verificar algum estado de mais apatia e prostração no dia da sua administração. De modo geral as reacções associadas ao uso das vacinas podem ser divididas em locais e sistémicas ou "normais" e "inapropriadas". Alguns dos principais efeitos adversos da vacinação são reacções locais como dor, edema, inchaço e granulomas que são consideradas as reacções mais comuns. Mais comumente pode-se observar o desenvolvimento de inchaços locais no ponto de aplicação que podem ser firmes ou de consistência mais pastosa e costumam durar cerca de 1 semana, surgindo 1 dia após a vacinação. A formação de um nódulo no local da aplicação, em geral, é decorrente de uma resposta inflamatória desencadeada pela vacina. Os nódulos pós-vacinais costumam desaparecer em 15 dias, a não ser que evoluam para a formação de um granuloma. Considera-se normal a manutenção de um pequeno granuloma no local de aplicação por um período de até 3 meses e caso não regrida ter-se-à que investigar o que se passa. Reacções mais dramáticas podem ocorrer na consequência de alergia em resposta a algum componente vacinal - inchaço da cabeça e/ou corpo, vómitos, desmaios entre outros - e requerem tratamento médico imediato.

O Mundo do Lucas: Quais os factores que influenciam o sucesso ou a falha da vacinação?
Marta Guerreiro: Os factores podem ser relacionados com o animal (estado de saúde e imunosuficiência, estado nutricional, presença de anticorpos maternos, idade, gestação,existência de doenças a incubar na aplicação ou parasitas), com a própria vacina (é importante ter noção que nenhuma vacina é eficaz a 100%), erros no seguimento do protocolo vacinal (quer do médico quer e pelo não respeito dos donos das regras aquando a vacinação). 

O Mundo do Lucas: Por diversas vezes, ouço dizer “O meu cão ficou doente depois da vacina”. Será mito? Se sim, importa-se de o desmistificar?
Marta Guerreiro: O facto de não se respeitarem certas regras (mencionadas em cima) pode levar à ocorrência de doença no seguimento de um plano vacinal.